NECESSIDADE DE CALIBRAÇÃO DOS AUDIÔMETROS E DAS CABINES AUDIOMÉTRICAS


Considerando que o ruído pode interferir nos resultados de um exame audiológico. Considerando que o ambiente em que os testes audiométricos são realizados deve ter o nível de ruído controlado. Todo procedimento audiométrico deve ser realizado dentro de ambiente tratado acusticamente (cabina audiométrica) a fim de que os procedimentos audiométricos sejam realizados em ambiente silencioso, garantindo, a qualidade do exame.


O ambiente para realização de exames audiométricos devem atender os níveis máximos de ruído estabelecidos pela Norma ISO 8253-1 (Tabela 1, Anexo 1) como referência para os níveis de ruído ambiental permitidos na cabina/sala onde é realizado o exame (veja mais sobre cabine audiométrica).

Acrescentamos que empresas de medicina do trabalho tendem a privilegiar os exames em detrimento das medições ocupacionais que são regulamentadas e fundamentais para a identificação, o reconhecimento e a quantificação dos riscos ocupacionais. Estes "demonstrativos ambientais" devem ser confiáveis retratando a realidade da jornada de trabalho. Veja mais aqui no seu site de conteúdo digital (clique aqui).


Da mesma forma encontramos exames audiométricos realizados por estas mesmas empresas sem as garantias da cadeia de custódia: fundamenta para análises periciais. Isto é, cometem imperícias e imprudências por não executarem a calibração de seus audiômetros em laboratórios devidamente acreditado na Rede Brasileira de Calibração RBC/INMETRO, identificado quando o certificado de calibração não possui o selo de acreditação RBC.


A garantia da cadeia de custódia passa por essas premissas metodológicas. A acreditação garante que serão seguidas na íntegra as normas para a calibração do audiômetros sem interferências externas e com a exatidão demandada para esses processos de medição.


Destacamos para conhecimento assuntos relacionados sobre certificados e homologações (clique aqui).