Homologação de equipamentos de medição:


Então, quem homologa os equipamentos ou partes integrante dos sistemas de medição? O INMETRO ou PTB ou NIST ou aqueles institutos intencionais pertencentes aos países signatários do BIPM. Este ponto é muito importante, pois para realizar a homologação para atender determinadas normas deve-se ter equipamentos especiais de referência e capacitação para a execução, e, em muitas áreas relacionadas a homologação de equipamentos de maior complexidade o INMETRO não atua. Portanto, a aprovação de modelo e a homologação dos equipamentos em função de determinada norma são realizados por institutos internacionais reconhecidos. Essa é uma questão importante, pois alguns fornecedores acreditado no INMETRO para a calibração de equipamento também são fornecedores de produtos e declaram que o mesmo segue determinadas normas, onde nem o INMETRO tem capacidade de realizar a homologação. Lembrando mais uma vez, calibração não é homologação, e este último, "cinaquanon" para a atuação na área de SSM. Veja mais aqui.


Homologação de fones / head-set(s) e sistemas de voz:


A certificação e homologação garantem ao consumidor a aquisição e o uso de produtos de telecomunicações que respeitam padrões de qualidade e de segurança e funcionalidades técnicas regulamentadas. O Regulamento sobre Certificação e Homologação, aprovado pela Resolução nº 242/2000, estabelece que a emissão do documento de homologação é pré-requisito obrigatório para fins de comercialização e utilização, no Brasil, de produtos para telecomunicações.


As empresas e usuários só devem adquirir ou utilizar produtos de telecomunicações homologados pela Anatel, em conformidade com o Regulamento sobre Certificação e Homologação.


Para a questão de sistema de telecomunicação, por exemplo: relacionados com fones e head-set(s), problemas na blindagem de fios, na cápsula dos alto-falantes, impedâncias ou no sistema de segurança contra choque acústico, podem acarretar perda de audição por superação de limites de nível de pressão sonora de impacto, risco eminente (NR 15 anexo 2), ou por exposição diária a NPSE (NR15 anexo 1). Interferências e retorno de voz faz com que o usuário aumente o volume para melhorar a inteligibilidade e consequentemente aumentar a exposição diária ao ruído. Também são destacados os choques elétricos e produtos químicos envolvidos na fabricação, dentre outras consequenciais relacionadas com os fones.


A consulta aos produtos certificados e homologados pela Anatel é efetuada por meio do Sistema de Gestão de Certificação e Homologação (SGCH) .


OBRIGAÇÕES PATRONAIS E DE SEUS PREPOSTOS:


Assim como muitas empresas de teleatendimento, dentre outras atividades que utilizam fones ou head-set, devem ter como meta adquirir somente produtos com a homologação da Anatel, além de exigir testes e ensaios de emissões de nível de pressão sonora e exposição ao agente ruído.


Para mais sobre o assunto sobre fones/head-set(s): clique aqui.


CERTIFICAÇÃO DIGITAL:


Destacamos a necessidade da certificação digital principiante nas área de Saúde, Segurança e Meio Ambiente, facilitando contratos, emissões de laudos técnicos e ART(s), com a segurança das novas tecnologias digitais, evitando adulteração de documentos, Atestados de Responsabilidades Técnico (ART), certificados de calibração e assinaturas de profissional legalmente habilitado, tão comum nessa importante área da atuação. Veja no site simplesmente digital.